TravelBI
Home / Turismo em Portugal / Estimativas rápidas | abril 2024

Publicação

maio 31, 2024
António Mello
Banco de Portugal , Instituto Nacional de Estatística

Estimativas rápidas | abril 2024

turismo em portugal

O Instituto Nacional de Estatística e o Banco de Portugal divulgaram, no dia 31 de maio de 2024, as estimativas rápidas dos resultados de abril de 2024. A estimativa aponta para 2,6 milhões de hóspedes e 6,5 milhões de dormidas no total do alojamento turístico em abril de 2024, o que corresponde a quebras de -3,7% e -4,3%, respetivamente.

•    Em relação aos residentes, a previsão é de 1,8 milhões de dormidas (-12,5% face a abril de 2023). A quota que as dormidas de residentes representaram no total foi de 29,7% em abril de 2023, passando para 27,2% em abril de 2024.
•    Em relação aos não residentes, a perspetiva aponta para 4,8 milhões de dormidas, que se irão traduzir num decréscimo homólogo estimado de 0,8%. A quota que as dormidas de não residentes representaram no total foi de 70,3% em abril de 2023, passando em abril de 2024 para 72,8%.

Dormidas com evoluções díspares entre regiões

Em abril, o maior aumento nas dormidas registou-se na RA Açores (+7,5%), enquanto se observaram crescimentos ligeiros na RA Madeira (+0,8%), Oeste e Vale do Tejo (+0,5%) e na Grande Lisboa (+0,1%). Nas restantes regiões observaram-se decréscimos nas dormidas, tendo sido mais expressivos no Alentejo (-11,3%), no Algarve (-9,9%) e no Centro (-8,3%).

As dormidas de residentes apresentaram decréscimos em todas as regiões, com exceção da RA Açores (+2,4%) e da Grande Lisboa (+2,0%). A RA Madeira e o Algarve destacaram-se com os decréscimos mais acentuados nas dormidas de residentes (-30,9% e -24,0%, respetivamente). As dormidas de não residentes registaram crescimentos mais expressivos na RA Açores (+12,6%), no Oeste e Vale do Tejo (+8,5%) e na RA Madeira (+7,9%), enquanto no Centro (-9,8%), no Algarve (-6,3%), no Norte (-1,8%) e na Grande Lisboa (-0,3%) se registaram decréscimos.

Análise de mercados

- Os 10 principais mercados emissores em abril representaram 75,2% do total de dormidas de não residentes neste mês, entre os quais se destaca o de maior peso, o mercado britânico (18,2% do total das dormidas de não residentes em abril), com uma ligeira diminuição de 0,2%, a primeira desde março de 2021;

- As dormidas de hóspedes alemães (11,7% do total), o segundo principal mercado, cresceram 2,0%. Seguiram-se os mercados francês (quota de 9,6%) e norte americano (peso de 9,4%), que registaram aumentos de 2,8% e 13,6%, respetivamente; 

- No grupo dos 10 principais mercados emissores, destacaram-se ainda os mercados canadiano e neerlandês (quotas de 3,2% e 4,6%, respetivamente) pelos crescimentos mais significativos, +31,8% e +12,9%, pela mesma ordem. Em sentido contrário, destacou-se o mercado espanhol (quota de 6,9%) com o decréscimo mais expressivo (-42,5%), seguido do mercado brasileiro (quota de 4,2%), que registou um decréscimo de 9,2%.

Importa assinalar que estes resultados foram influenciados pela estrutura móvel do calendário, ou seja, pelo efeito do período de férias associado à Páscoa, que no ano anterior se concentrou em abril, enquanto este ano se repartiu entre março e abril. (sobretudo com incidência no mercado espanhol).

Até abril, dormidas de residentes superam níveis de 2023

Até abril deste ano, estimam-se que 8.189,9 mil hóspedes permaneçam nas unidades de alojamento, dando origem a 20.006,6 mil dormidas. Verificar-se-á um aumento de 3,1% nas dormidas totais (+601,7 mil dormidas), resultante do decréscimo esperado de 1,7% nos residentes (-105 mil dormidas) e de +5,3% para os não residentes (+706,7 mil dormidas) face ao período homólogo anterior. 

No período de janeiro a abril face ao período homólogo anterior, destacam-se os seguintes mercados com crescimento superiores a dois dígitos (Canadá +26,5%), Dinamarca (25,3%), Polónia (+23,9%), EUA (+16,6%) e Irlanda (+10,3%) em contraste com a Espanha (-9,8%), Brasil (-6,1%) e França (-4,0%).

Reino Unido e Alemanha registaram crescimento de 5,3% e 6,3%, respetivamente.
 

Indicador preliminar das viagens e turismo da balança de pagamentos

De acordo com o Banco de Portugal, prevê-se a seguinte evolução da rubrica de viagens e turismo da balança de pagamentos:

//  Em abril de 2024, o indicador preliminar das viagens e turismo aponta para um crescimento das exportações de 3,2% face a abril de 2023 (após uma variação de 18,4% em março) e um crescimento das importações de 2,7% (após uma variação de 9,7% em março), que totalizam assim 2.000,37 milhões de € e 595,70 milhões de €, pela mesma ordem.

//  Relativamente aos valores acumulados até abril de 2024, as exportações (6.771,01 milhões de €) superaram o observado em igual período de 2023 (6.084,71 milhões de €, correspondendo a um aumento de 11,28%.

// As despesas turísticas nos quatro primeiros meses acumulados de 2024 (1. 567,57 milhões de €) situar-se-ão também acima do verificado no período homólogo anterior (1.482,84 milhões de €), correspondendo a um aumento de 5,71%.